segunda-feira, 23 de maio de 2016

Neville Goddard 1948 Lições - Lição Dois



Suposições cristalizam em verdade

Esta nossa Bíblia nada tem a ver com a história. Alguns de vocês ainda estão inclinados esta noite a acreditar que, embora possamos dar-lhe uma interpretação psicológica, ela ainda poderia ser deixada na sua forma atual e ser interpretada literalmente. Você não pode fazer isso. A Bíblia não tem nenhuma referência a pessoas ou eventos como vocês foram ensinados a acreditar. Quanto mais cedo você começar a apagar essa imagem, melhor.
Vamos tomar algumas histórias esta noite, e mais uma vez eu vou lembrá-lo que deve reencenar todas essas histórias dentro de sua própria mente.
Tenha em mente que, embora elas pareçam ser histórias de pessoas totalmente despertas, o drama é realmente entre você, aquele que dorme, o mais profundo você, e o consciente você desperto. Elas são personificadas como pessoas, mas quando você chegar ao ponto de aplicá-las, deve lembrar da importância do estado sonolento.

Toda criação, como falamos na noite passada, tem lugar no estado de sono, ou aquele estado que é semelhante ao sono -  estado inerte sonolento.
Nós falamos a noite passada que o primeiro homem ainda não está desperto.
Você é Adão, o primeiro homem, ainda em profundo sono.
O você criativo é a quarta dimensão, cuja casa é simplesmente o estado chamado adormecido no qual você entra. 

As Histórias:

Nossa primeira história para esta noite é encontrada no Evangelho de João. Conforme a ouve desdobrar-se perante você, eu quero que a compare nos olhos de sua mente, com a história que você ouviu na noite passada, do Livro do Gênesis. No primeiro livro da Bíblia, o Livro do Gênesis, os historiadores afirmam que é o registro dos eventos que ocorreram na terra aproximadamente 3.000 anos antes dos eventos registrados no Livro de João. Eu peço que você seja racional a respeito disso e veja que não pode pensar que o mesmo historiador escreveu ambas as histórias. 

Você deve ser o juiz quanto a saber que o mesmo homem inspirado não poderia contar a mesma história e contar de forma diferente.
Essa é uma história muito familiar, a história do julgamento de Jesus. No Evangelho de João está registrado que Jesus foi levado perante Pôncio Pilatos, e a multidão clamava por sua vida, eles queriam Jesus. Pilatos voltou-se para eles e disse:
"Mas vós tendes por costume que eu vos solte alguém pela Páscoa; quereis, pois, que vos solte o Rei dos Judeus? Então todos tornaram a clamar, dizendo: Este não, mas Barrabás. Barrabás era um ladrão. " João 18:39, 40.
Está dito que Pilatos não teve escolha nesse assunto, ele apenas era o juiz interpretando a lei, e essa era a lei. As pessoas receberam o que solicitaram. Pilatos não poderia liberar Jesus contra os desejos da multidão, e por isso ele soltou Barrabás e entregou-lhes Jesus para ser crucificado.
Agora tenha em mente que sua consciência é Deus. E foi dito que Deus tem um filho cujo nome é Jesus. Se você vai se dar ao trabalho de procurar a palavra Barrabás na sua concordância, verá que é a contração de duas palavras Hebraicas: BAR, que significa filha ou filho – ou criança, e ABBA, que significa pai. Barrabás é o filho do grande pai. E Jesus na história é chamado o Salvador, o Filho do Pai.

Nós temos dois filhos nessa história. E temos dois filhos da história de Esaú e Jacó. Tenha em mente que Isaac era cego, e a justiça deve ser cega para ser verdadeira. 

Embora neste caso Pilatos não está fisicamente cego, a parte dada a ele implica que ele é cego, porque é um juiz. Em todos os grandes edifícios de advocacia do mundo, vemos a mulher ou o homem que representam a justiça estando com os olhos vendados.
"Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo o reto juízo. "João 7:24. Aqui encontramos Pilatos fazendo o mesmo papel que Isaac. Há dois filhos. Todos os personagens que aparecem nesta história podem ser aplicados em sua própria vida.

Você tem um filho que está lhe roubando neste momento o que você poderia ser. 

Se você veio para esse encontro esta noite consciente de que está querendo algo, desejando algo, você andou na companhia de Barrabás. Desejar é confessar que você não possui agora o que você quer, e porque todas as coisas são suas, você rouba de si mesmo, vivendo no estado de desejar. Meu salvador é o meu desejo. Como eu quero algo, estou olhando para dentro dos olhos de meu salvador. Mas se eu continuo querendo isso, eu nego meu Jesus, meu salvador, assim como eu quero eu confesso que não sou e “se não credes quem EU SOU, morrereis em vossos pecados”.
Eu não posso ter e ainda continuar a desejar o que eu tenho. Eu posso apreciá-lo, mas não posso continuar querendo isso.
Essa é a história. Essa é a festa da Páscoa dos Judeus*.
(*o autor faz um trocadilho com as palavras “Passover”, que em português significa Páscoa dos Judeus, e “passover”, ou pass over, significando atravessar, ou passar por cima. NT)

Alguma coisa vai mudar exatamente agora, alguma coisa vai passar por cima. O homem é incapaz de passar de um estado de consciência para outro a menos que ele libere a partir da consciência que ele agora entretém, pois isso o ancora aonde ele está. 

Você e eu podemos ir a festas físicas ano após ano assim como o sol entra no grande signo de Áries, mas isso não significa nada para a verdadeira Páscoa mística. Para manter a festa da Páscoa, a festa psicológica, eu passo de um estado de consciência para outro. Eu faço isso libertando Barrabás, o ladrão e salteador que me rouba o estado que eu poderia incorporar dentro do meu mundo.

O estado que eu procuro incorporar é personificado na história como Jesus o Salvador. Se eu me tornar o que eu quero ser, então estou salvo pelo que eu era. Se eu não me torno isso, eu continuo a manter trancado dentro de mim um ladrão que me rouba de ser o que eu poderia ser.

Essas histórias não fazem referência a quaisquer pessoas que viveram, nem a qualquer evento que já ocorreu na Terra. Estes personagens são eternas características na mente de cada homem no mundo. Você e eu perpetuamente mantemos vivos tanto Barrabás ou Jesus. Você sabe em cada momento do tempo que você está entretendo. Não condene uma multidão por clamar que deveriam liberar Barrabás e crucificar Jesus. Não é uma multidão de pessoas chamada Judeus. Eles não tinham nada a ver com isso.
Se formos sábios, nós também devemos clamar pela libertação desse estado de espírito que nos limita de ser o que queremos ser, que nos restringe, que não permite que nos tornemos o ideal que buscamos e nos esforçamos para atingir neste mundo.

Não estou dizendo que você esta noite não está incorporando Jesus. Apenas lembrando, que se neste exato momento você tem uma ambição não satisfeita, então você está entretendo o que nega o cumprimento da ambição, e o que nega isso é Barrabás. 

Para explicar a transformação mística, psicológica, conhecida como Páscoa, ou a travessia, você deve agora começar a se identificar com o ideal que serviria, e deve manter-se fiel a ele. Se você permanecer fiel a ele, você não só o crucifica por sua fidelidade, mas você o ressuscita sem a ajuda de um homem. Como a história vai, nenhum homem poderia levantar cedo o suficiente para rolar a pedra. Sem a ajuda de um homem a pedra foi removida, e o que aparentemente estava morto e enterrado ressuscitou sem ajuda de um homem.

Você anda na consciência de ser o que você quer ser, ninguém ainda vê isso, mas você não precisa de um homem para rolar os problemas e obstáculos de sua vida, afim de expressar o que você está consciente de ser. Esse estado tem a sua própria maneira original de se tornar encarnado neste mundo, de se tornar carne que o mundo inteiro pode tocar.
Agora você pode ver a relação entre a história de Jesus e a história de Isaac e seus dois filhos, onde um transpunha o outro, onde um era chamado de Suplantador do outro. 

Por que acha que aqueles que compilaram os sessenta livros de nossa Bíblia fizeram de Jacob antepassado de Jesus? Eles pegaram Jacó e o chamaram Suplantador, e fizeram dele pai de doze, em seguida, eles tomaram Judá ou louvor, o quinto filho e fizeram dele antepassado de José, que supostamente gerou por um caminho estranho esse chamado Jesus. Jesus deve suplantar Barrabás como Jacó deve suplantar e tomar o lugar de Esaú.

Hoje à noite você pode sentar aqui e conduzir o julgamento de seus dois filhos, um dos quais você quer libertado. Você pode se tornar a multidão que clama pela libertação do ladrão, e o juiz que voluntariamente soltou Barrabás, e condenou Jesus para preencher o seu lugar. Ele foi crucificado no Gólgota, o lugar do crânio, a sede da imaginação.

Para experimentar a Páscoa ou passagem do velho para o novo conceito de si mesmo, você deve liberar Barrabás, o seu conceito atual de si mesmo, que o rouba de ser o que você poderia ser, e deve assumir o novo conceito que você deseja expressar.

A melhor maneira de fazer isso é concentrar sua atenção acerca da ideia de se identificar com seu ideal. Assuma que você já é o que procura ser e sua suposição, embora falsa, se sustentada, irá se tornar verdade.
Você saberá que conseguiu libertar Barrabás, seu antigo conceito de si, e quando teve sucesso em crucificar Jesus, ou fixado o novo conceito de si, simplesmente olhando MENTALMENTE as pessoas que você conhece. Se você as vê como normalmente vê, você não mudou seu conceito de si, porque toda mudança de conceito interno resulta em modificações nos relacionamentos de seu mundo. 

Nós sempre olhamos os outros e personificamos o ideal que inspiramos.
Portanto, na meditação, nós devemos imaginar que os outros nos veem como nos veriam se estivéssemos onde gostaríamos de estar.
Você pode libertar Barrabás, crucificar e ressuscitar Jesus se primeiro você definir seu ideal. Então relaxe em uma confortável poltrona, induza um estado de consciência semelhante ao sono e experimente na imaginação o que experimentaria na realidade onde você já seria o que deseja ser.  
Por este simples método de experimentar na imaginação o que você experimentaria na carne, que foi a personificação do ideal que você apresenta, você libertou Barrabás que roubou você de sua grandeza, crucificou e ressuscitou seu salvador, ou o ideal que deseja expressar.
Agora vamos voltar à história de Jesus no jardim do Getsêmani. Tenha em mente que um jardim é um terreno devidamente preparado na terra, não é um deserto. Você está preparando este solo chamado Getsêmani por vir aqui estudar e fazer algo sobre sua mente. Passe algum tempo diariamente na preparação de sua mente, lendo boa literatura, ouvindo boa música e entrando em conversas que enobrecem.

É dito nas Epístolas, “Tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, pensai nisso. " Phil. 4: 8. Continuando com a nossa história, como disse no capítulo 18 de João, Jesus está no jardim e de repente uma multidão começa a procurá-lo. Ele está lá no escuro e diz: "A quem buscais?" O porta-voz chamado Judas responde e diz: "Procuramos Jesus de Nazaré." Uma voz responde: "Eu sou Ele". Nesse instante, todos eles caem no chão, milhares deles tombaram. Isso por si só deve parar você ali mesmo, e deixá-lo saber que isso não poderia ser um drama físico, porque ninguém poderia ser tão ousado em sua afirmação de que ele é o único procurado, que poderia causar milhares de pessoas que o procuram a caírem ao chão.

Mas os historiadores nos contam que todos caíram no chão. Então quando recuperaram a compostura, fizeram a mesma pergunta. "Jesus respondeu: Já vos disse que eu sou Ele; portanto, a mim que buscais, deixai ir estes em seu caminho." João 18: 8. "Então disse-lhe Jesus: que fazes, faze-o depressa." João 13:27.

Judas, que fez isso rapidamente, sai e comete suicídio.

Agora o drama. Você está em seu jardim do Getsêmani ou preparou a mente se puder, enquanto está num estado próximo ao sono, controle sua atenção e não deixe que ela se afaste deste propósito. Se pode fazer isso, você está definitivamente no jardim. 

Muitas poucas pessoas podem sentar-se calmamente e não introduzir um devaneio ou um estado de pensamento sem controle. Quando você pode restringir a ação mental e permanecer fiel à sua vigília, não permitindo sua atenção perambular por outro lugar, mas mantendo sem esforço dentro de um campo limitado de apresentação para o estado que você está contemplando, então você tem definitivamente essa atitude disciplinada no jardim do Getsêmani. 

O suicídio de Judas nada mais é do que mudar seu conceito de si mesmo. Quando sabe o que quer ser, você encontrou seu Jesus ou salvador. Quando assume que você é o que quer ser, você morreu para o seu antigo conceito de ser (Judas cometeu suicídio) e agora está vivendo como Jesus.
Você pode querer começar a se separar do mundo ao seu redor, e liga-se ao que você deseja incorporar dentro de seu mundo.

Agora que você me encontrou, agora que encontrou o que iria salvá-lo de quem você é, deixe ir o que você é e tudo o que isso representa no mundo.
Torne-se completamente separado disso. Em outras palavras, vá e cometa suicídio. Você morre completamente para o que antes expressou neste mundo, e agora vive completamente para o que ninguém viu como verdadeiro para você antes. É como se você tivesse morrido por suas próprias mãos, como se tivesse cometido suicídio. Você tirou sua própria vida, tornando-se separado da consciência do que você anteriormente manteve vivo, e começou a viver para o que descobriu em seu jardim. Você encontrou seu salvador.
Não são homens caindo, não um homem traindo outro, mas você desligando sua atenção, e reorientando sua atenção para uma direção totalmente nova. Deste momento em diante você anda como se fosse o que antes queria ser. Mantendo-se fiel ao seu novo conceito de si mesmo, você morre ou comete suicídio. Ninguém tomou sua vida, você mesmo fez isso. 

Você deve ser capaz de ver a relação desta com a morte de Moisés, onde ele morreu tão completamente que ninguém conseguiu encontrar onde ele foi enterrado. Você deve perceber a relação com a morte de Judas. Ele não é um homem que traiu o homem chamado Jesus. 

A palavra Judah é elogio; isso é Judas, elogiar, dar graças, a explodir de alegria. Você não pode explodir de alegria a menos que se identifique com o ideal que busca e quer ver incorporado em seu mundo. Quando se identifica com o estado que contempla, você não pode suprimir sua alegria. Ele se eleva como o odor perfumado descrito como Jericó no Antigo Testamento.
Eu estou tentando lhe mostrar que os antigos contaram a mesma história em todas as histórias da Bíblia. Tudo o que eles tentaram contar para nós é como nos tornamos o que queremos ser. E eles indicam em todas as histórias que nós não precisamos da assistência de ninguém. Você não precisa de outra pessoa para se tornar agora o que realmente quer ser. 

Agora nos voltamos para uma estranha história no Antigo Testamento; uma que muito poucos sacerdotes e rabinos vão ser ousados o suficiente para mencionar em seus púlpitos.

Aqui está alguém que vai receber a promessa como você agora a recebe. Seu nome é Jesus, apenas os antigos o chamavam Joshua, Jehoshua Ben Num, ou salvador, filho de peixe, o Salvador do grande abismo. Nun significa peixe, e peixe é o componente do abismo, o profundo oceano. Jehoshua significa Jeová salva, e Ben significa descendência, ou filho de. Então ele é chamado como aquele trouxe a era do peixe. 

Esta história está no sexto livro da Bíblia, o livro de Josué. A promessa é feita a Josué como é feita a Jesus na forma inglesa nos evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas e João.

No Evangelho de João, Jesus disse, "Todas as coisas que me tens dado são de ti." João 17: 7. "E todas as minhas coisas são tuas, e as tuas coisas são minhas." João 17:10.

No Velho Testamento no livro de Josué isso está dito nestas palavras: “Todo lugar que a planta dos vossos pés pisarem Eu vos dou. ” Josué 1:3. Não importa onde isso está; analize a promessa e veja se você pode aceitar isso literalmente. Não é uma verdade física, mas é uma verdade psicológica. Onde quer que você possa estar nesse mundo, mentalize que você pode realizar. Josué é assombrado por esta promessa de que onde quer que ele possa colocar o pé (o pé é o entendimento), por onde quer que a planta de seu pé pise, isso será dado a ele. Ele quer a mais desejada condição no mudo, a cidade perfumada, a encantadora condição chamada Jericó.

Ele encontra-se barrado pelas paredes intransitáveis de Jericó.
Ele está do lado de fora, assim como você está agora do lado de fora.
Você está atuando tridimensionalmente e você não consegue alcançar o mundo quadridimensional onde o seu desejo presente já é uma realidade objetiva concreta. Você não consegue ver como alcançar isso porque seus sentidos barram você para fora disso. A razão diz que isso é impossível, todas as coisas ao redor dizem que isso não é verdade. 

Agora você contrata os serviços de uma meretriz e espiã, e seu nome é Raabe. A palavra Raabe significa simplesmente o espírito do pai. RACE significa a respiração ou espírito e ABE o pai. Portanto, nós achamos que esta meretriz é o espírito do pai e o pai é a consciência do homem de estar consciente, o Eu Sou consciente do homem, a consciência do homem.
Sua capacidade de sentir é o grande espírito do pai, e esta capacidade é Raabe nesta história. Ela tem duas profissões, de espiã e meretriz.
A profissão de espiã é esta: para viajar secretamente, para viajar tão silenciosamente que você não pode detectar. Não há um único espião físico neste mundo que pode viajar tão silenciosamente que vai ser completamente invisível para os outros. Ele pode ser muito sábio em esconder os seus caminhos, e ele nunca pode ser realmente apreendido, mas a cada momento do tempo, ele corre o risco de ser detectado.

Quando você está sentado em silêncio com seus pensamentos, não há homem no mundo tão sábio que pode olhar para você e lhe dizer onde você está morando mentalmente.

Posso ficar aqui e colocar-me em Londres. Conhecendo Londres muito bem, eu posso fechar meus olhos e assumir que na realidade estou em pé em Londres. Se eu permanecer dentro deste estado por tempo suficiente, eu serei capaz de me cercar com o ambiente de Londres como se fosse um fato objetivo concreto sólido.

Fisicamente eu ainda estou aqui, mas mentalmente eu estou a milhares de quilômetros distante, e eu fiz outro lugar aqui. Eu não vou lá como espião, eu mentalmente faço outro lugar aqui, e agora. Você não pode me ver habitando lá, então você pensa que eu apenas fui dormir e que estou ainda aqui neste mundo, este mundo tridimensional que agora é San Francisco. Embora distante como eu esteja interessado, eu estou aqui, mas ninguém pode me dizer onde eu estou quando eu entro no momento de meditação. 

A próxima profissão de Raabe era a de uma meretriz, que consiste em dar aos homens o que eles pedem a ela, sem consultar o direito do homem de pedir. Se ela for uma completa meretriz, como seu nome indica, então ela possui tudo e pode conceder tudo que o homem pede a ela. Ela está lá para servir, e não para questionar o direito do homem de buscar o que ele procura nela.
Você tem dentro de si a capacidade de se apropriar de um estado sem conhecer os meios que serão utilizados para realizar esse fim, e assumir o sentimento do desejo realizado sem ter qualquer um dos talentos que os homens afirmam que você deve possuir a fim de fazê-lo. Quando apropria isso na consciência você usou o espião, e pela razão de você poder incorporar aquele estado dentro de si por estar, efetivamente, dando isso a si mesmo, você é a meretriz, pois a meretriz satisfaz o homem que pede a ela. 

Você pode satisfazer a si mesmo apropriando-se da sensação de que você é o que você quer ser. E essa pretensão, embora falsa, quer dizer, embora a razão e os sentidos neguem, se persistir vai cristalizar-se na realidade.
Por realmente estar incorporando o que você assumiu que você é, você tem a capacidade de se tornar completamente satisfeito. A menos que se torne uma realidade tangível, concreta, você não ficará satisfeito; você ficará frustrado.
Foi dito nesta história que quando Raabe entrou na cidade para conquistá-la, a ordem dada a ela foi para entrar no coração da cidade, o centro da questão, o verdadeiro centro disto, e lá permanecer. Não ir de casa em casa, não deixar o lugar mais elevado da casa dentro da qual você entra. Se você deixa a casa e lá existe sangue sobre sua cabeça, isto está sobre sua cabeça. Mas se você não deixa a casa e há sangue, ele deve estar sobre minha cabeça.
Raabe entra dentro da casa, sobe até o andar superior, e lá permanece enquanto as paredes desmoronam. Isto é, nós devemos manter um estado de espírito elevado, se quisermos andar com o superior. De uma maneira velada, a história nos conta que quando as paredes desmoronaram e Josué entrou, o único que foi salvo na cidade foi o espião e a meretriz cujo nome era Raabe.
Esta história conta que você pode fazer isso em seu mundo. Você nunca perde a capacidade de colocar-se em outro lugar e fazer disso aqui. Você nunca perde a habilidade de dar a si mesmo o que é corajoso o suficiente para apropriar-se como verdadeiro para você. Não tem nada a ver com a mulher que representou essa parte. A explicação para o desmoronamento das paredes é simples. 

Está dito que ele tocou a trombeta sete vezes e na sétima explosão as paredes desmoronaram e ele entrou vitoriosamente para o estado que ele buscou. Sete é a calmaria, o descanso, o Sabbath. É o estado em que o homem é completamente indiferente em sua convicção de que a coisa é.
Quando eu posso assumir o sentimento de meu desejo realizado e ir dormir, despreocupado, imperturbável, eu estou em repouso mental, e estou mantendo o Sabbath ou estou tocando a trombeta sete vezes. E quando eu alcanço este ponto as paredes desmoronam. Circunstâncias mudam e então se remodelam em harmonia com minha pretensão. Como elas caem, eu ressurjo naquilo em que eu tenho me apropriado. As paredes, os obstáculos, os problemas, desmoronam sobre seu próprio peso se eu posso chegar ao ponto de quietude dentro de mim. 

O homem que pode corrigir dentro dos olhos da sua própria mente uma ideia, mesmo que o mundo negue isso, se ele permanecer fiel a essa ideia, ele a verá manifestada. Há toda diferença no mundo entre segurar a ideia, e ser mantido pela ideia. Tornar tão dominado pela ideia que isso infesta a mente como se fosse isto. 

Então, independentemente do que os outros possam dizer, você está andando na direção de sua atitude fixada na mente. Você está andando na direção da ideia que domina a mente. 

Como dizemos na noite passada, você tem apenas um dom que é verdadeiramente seu para dar, e que é você mesmo. Não há outro presente; você deve pressioná-lo para fora de si mesmo por uma apropriação. Ele está dentro de você agora para a criação ser finalizada. Não há nada a ser que não é agora. Não a nada a ser criado pois todas as coisas são suas, tudo já está terminado. 

Embora o homem pode não ser capaz de ficar fisicamente em uma condição, ele pode sempre estar mentalmente em qualquer estado desejado. Por estar mentalmente quero dizer que agora você pode, neste momento, fechar os olhos e visualizar um lugar diferente do que seu presente, e assumir que você está realmente lá. Você pode sentir que isto seja tão real que ao abrir os olhos, você será surpreendido ao descobrir que não está fisicamente lá.
Esta jornada mental dentro da condição desejada, com o subsequente sentimento de realidade, é tudo o que é necessário para produzir a sua realização. Seu Ser maior dimensional tem os caminhos que o menor, ou seu ser da terceira dimensão, não conhece sobre isso. Além disso, para o você maior, todos os meios são bons para promover a realização da sua pretensão.
Permaneça na condição mental definida como seu objetivo até que ela tenha a sensação de realidade, e todas as forças do céu e da terra vão correr para apoiar sua materialização. Seu Eu maior irá influenciar as ações e palavras de todos os que podem ser usados para auxiliar a produção da sua atitude fixa mental. 

Agora voltemos ao Livro dos Números e aqui encontramos uma estranha história. Eu acredito que alguns de vocês tenham tido esta experiência descrita no Livro dos Números. Ela fala da construção de uma tenda sob o comando de Deus; que Deus ordenou a Israel para lhe construir um local de adoração.
Ele deu a eles todas as especificações para a tenda. Tinha que ser longa, um lugar móvel para culto, e tinha que ser coberta com peles. Preciso dizer mais alguma coisa? Não é aquele homem? "Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? "I Cor. 03:16
Não há outro templo. Não é um templo feito por mãos, mas um templo eterno nos céus. Este templo é alongado, e é coberto com pele, e move-se através do deserto.

“No dia em que foi levantado o tabernáculo, a nuvem cobriu o tabernáculo, isto é, a própria tenda do testemunho; e desde a tarde até pela manhã havia sobre o tabernáculo uma aparência de fogo” Num. 9:15,16.  Assim acontecia de contínuo: a nuvem o cobria, e de noite havia aparência de fogo.

O comando dado a Israel era que permanecesse até que a nuvem subisse de dia, e de fogo à noite. "Se fosse por dois dias, ou um mês, ou um ano, que a nuvem se detinha sobre o tabernáculo, mantendo-se a mesma, os filhos de Israel se alojavam, e não partiam; mas quando ela se levantava, eles partiam." Num. 09:22

Você sabe que você é o tabernáculo, mas você pode se perguntar, o que é a nuvem. Na meditação muitos de vocês devem ter visto isso. Na meditação, estas nuvens, como as águas no subsolo de um poço artesiano, saltam espontaneamente para sua cabeça e se formam em anéis de ouro pulsantes. Então, como um suave rio elas fluem de sua cabeça em uma corrente de anéis de vida de ouro.

Em um estado de espírito meditativo beirando o sono a nuvem sobe.
É neste estado sonolento que você deve assumir que você é o que você deseja ser, e que você tem o que você procura, pois, a nuvem irá assumir a forma de sua suposição e moldar um mundo em harmonia consigo mesma.
A nuvem é simplesmente o vestuário de sua consciência, e onde a sua consciência é colocada, lá você vai ser na carne também.

Esta nuvem de ouro vem em meditação. Há um certo ponto, quando você estiver se aproximando do sono que é muito, muito denso, muito fluido e muito vivo e pulsante. Ela começa a subir à medida que atingir o estado sonolento, meditativo, na fronteira com o sono. Você não ataca o tabernáculo, nem o move até que a nuvem começa a subir.

A nuvem sempre sobe quando o homem se aproxima do entorpecimento do sono. Pois quando um homem vai dormir, se ele sabe ou não, ele desliza de um mundo tridimensional para um mundo quadridimensional e o que é ascendente é a consciência desse homem em um foco maior; esse é o foco na quarta dimensão. 

O que você vê ascendendo é o seu Eu maior. Quando começa a ascender você entra no atual estado de sentir o que quer ser. Este é o momento no qual você vai estar no estado de espírito de ser o que você quer ser, também experimentando na imaginação o que você iria experimentar na realidade, se já fosse o que quer ser, ou repetindo muitas e muitas vezes a frase que implica que você já fez o que você quer fazer. Uma frase como: "Não é maravilhoso, não é maravilhoso", como se alguma coisa maravilhosa tivesse acontecido a você.

“Em sonho ou em visão noturna, quando cai sono profundo sobre os homens, e adormecem na cama. Então o revela ao ouvido dos homens, e lhes sela a sua instrução” Jó 33:15,16

Use sabiamente o intervalo anterior sono. Assuma o sentimento de desejo realizado e vá dormir neste estado de espírito. Durante a noite, no mundo dimensional maior, quando cai sono profundo sobre os homens, eles olham e jogam as peças que irão mais tarde jogar no jogo na terra. E o drama é sempre em harmonia com o que os seus próprios seres dimensionalmente maiores olham e jogam através deles. Nossa ilusão do livre arbítrio é apenas ignorância das causas que nos fazem agir. A sensação que domina a mente do homem enquanto ele adormece, embora falsa, vai cristalizar em verdade. Assumir o sentimento do desejo realizado enquanto caímos no sono, é o comando para esse processo de corporificação, dizer a seu modo, “Seja real”. Desta forma, nos tornamos através de um processo natural, o que desejamos ser.

Posso lhe contar dezenas de experiências pessoais onde parecia impossível ir a outro lugar, mas colocando-me em outro lugar mentalmente enquanto eu estava prestes a ir dormir, circunstâncias mudaram rapidamente, o que me obrigava a fazer a viagem. Eu tinha feito isso além do oceano, colocando-me à noite em minha cama como se eu estivesse dormindo onde eu queria estar.
À medida que os dias se desenrolavam as coisas começaram a moldar-se em harmonia com essa suposição e todas as coisas que deveriam acontecer para obrigar a minha viagem aconteceram. E eu, apesar de mim mesmo, ficava pronto para ir ao encontro do lugar que eu assumi que estaria quando me aproximasse do sono profundo.
Conforme minha nuvem ascende, eu assumo que eu sou agora o homem que eu quero ser, ou que eu já estou no lugar que eu quero visitar. Eu adormeço neste lugar agora. 

Então, a vida atinge o tabernáculo, atinge meu ambiente e remonta meu ambiente através dos mares ou sobre a terra e o remonta à semelhança de minha pretensão. Não tem nada a ver com os homens que andam através de um deserto físico. Toda o vasto mundo ao seu redor é o deserto.
Do berço à sepultura você e eu andamos como se caminhássemos no deserto. Mas temos um tabernáculo vivo, onde Deus habita, e é coberto por uma nuvem que pode e ascende quando vamos dormir ou estamos em um estado semelhante ao sono. Não necessariamente em dois dias, pode ascender em dois minutos. Por que eles lhe dão dois dias? Se agora eu me torno o homem que eu quero ser, eu posso me tornar insatisfeito amanhã.
Eu deveria pelo menos dar-lhe um dia antes de eu decidir seguir em frente.
A Bíblia diz em dois dias, um mês ou um ano: sempre que você decidir seguir em frente com este tabernáculo deixe a subir nuvem. Conforme ela sobe você começa a se mover para onde a nuvem está.

A nuvem é simplesmente a vestimenta de sua consciência, a sua pretensão. Onde a consciência é colocada você não tem que ter o corpo físico; isso gravita lá, apesar de você. As coisas acontecem para obrigá-lo a se mover na direção em que você está consciente de habitar.

“Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também. ” João 14:2,3

As muitas moradas são inumeross estados dentro de sua mente, pois você é a casa de Deus. Na casa de meu Pai há inúmeros conceitos do ser. Você não poderia na eternidade esgotar o que é capaz de ser.
Se eu me sentar calmamente aqui e assumir que estou em outro lugar, eu fui e preparei esse lugar. Mas se eu abrir meus olhos, a bi locação que eu criei desaparece e eu estou de volta aqui na forma física que eu deixei atrás de mim enquanto eu fui preparar o lugar. Mas eu preparei o lugar, no entanto, e com o tempo, habitarei ali fisicamente.

Você não tem que se preocupar com as formas e os meios que serão utilizados para se mover através do espaço, para o lugar onde você tem ido e mentalmente preparado.

Basta sentar-se calmamente, não importa onde você está, e mentalmente realizar isto. 

Mas eu vou lhe dar um aviso, não trate isso levianamente, pois estou consciente do que isto vai fazer com as pessoas que tratarem isso despreocupadamente. Tratei-o levianamente uma vez, porque eu só queria ficar longe, baseado somente na temperatura do dia. Foi no profundo inverno em Nova York, e eu assim desejei estar no clima quente das Índias, no qual dormi naquela noite como se eu dormisse sob as palmeiras. Na manhã seguinte, quando acordei ainda estava muito frio.

Eu não tinha intenção de ir para as Índias naquele ano, mas chegou uma notícia angustiante que me obrigou a fazer a viagem. Foi no meio da guerra quando os navios estavam a ser afundados a torto e a direito, mas eu zarpei de Nova York em um navio 48 horas depois de ter recebido esta notícia. Era a única maneira que eu poderia chegar a Barbados, e cheguei mesmo a tempo de ver minha mãe e dizer um tridimensional "Adeus" para ela.
Apesar do fato de que eu não tinha intenções de ir, o mais profundo Ser observou onde a grande nuvem desceu. Coloquei-a em Barbados e este tabernáculo (meu corpo) tinha que ir e fazer a viagem para cumprir o comando,Todo lugar que a planta dos vossos pés pisarem Eu vos dou”. Onde quer que a nuvem desça no deserto, lá você monta o tabernáculo.
Eu naveguei de Nova York à meia-noite em um navio sem pensar em submarinos ou qualquer outra coisa. Eu tinha que ir. As coisas aconteceram de uma maneira que eu não poderia ter inventado.

Eu o adverti, não trate isso levianamente. Não diga: "Vou experimentar e me colocar em Labrador, só para ver se funciona." Você vai para seu Labrador e então você vai saber porque você nunca chegou a esta classe. Isso irá funcionar se você ousar assumir o sentimento de seu desejo realizado enquanto você for dormir.

Controle seu estado de espírito enquanto você vai dormir. Eu não consigo encontrar nenhuma maneira melhor para descrever esta técnica do que chamar de "sonho desperto controlado." Em um sonho você perde o controle, mas tente antes de seu sono, um completo sonho desperto controlado, entre nele como você faz em sonho, em um sonho você está sempre muito dominante, você sempre desempenha o papel.

Você é sempre o ator no sonho, nunca a plateia. Quando você tem um sonho desperto controlado, você é o ator e entra em ação no sonho controlado. Mas não faça isso de forma leviana, pois você deve reencenar isso em seu mundo tridimensional. 

Agora, antes de ir para o nosso momento de silêncio existe algo que eu preciso deixar muito claro, e que é este esforço que discutimos ontem à noite. Se há uma razão em todo este vasto mundo pela qual as pessoas falham é porque eles não têm conhecimento de uma lei conhecida por psicólogos hoje em dia como a lei do esforço reverso.

Quando você assume o sentimento de seu desejo realizado é com um mínimo de esforço. Você deve controlar a direção dos movimentos de sua atenção. Mas você deve fazer isto com o mínimo de esforço. Se há um esforço no controle, e você está forçando isso em uma determinada forma, você não está a caminho de obter os resultados. Você vai obter os resultados opostos, o que nunca pode ser.

É por isso que insistimos em estabelecer a base da Bíblia enquanto Adão dormia. Esse é o primeiro ato criativo, e não há nenhum registro onde ele já foi despertado deste sono profundo. Enquanto ele dorme a criação para.
Você muda melhor o seu futuro quando você está no controle de seus pensamentos, enquanto em um estado semelhante ao sono, pois o esforço é reduzido ao mínimo. Sua atenção parece relaxar completamente, e então você deve praticar segurando a sua atenção dentro desse sentimento, sem usar a força, e sem o uso de esforço.

Não pense por um momento que é a força de vontade que faz isso.
Quando você solta Barrabás e torna-se identificado com Jesus, você não vai mesmo ser ele, você imagina que é ele. Isso é tudo o que você faz.
Agora, como nós vamos para a parte vital da noite, o intervalo dedicado à oração, deixe-me novamente esclarecer a técnica. Saber o que quer. Em seguida, construir um único evento, um evento que implica a realização de seu desejo. Restringir o evento para um único ato.

Por exemplo, se eu destacar como um evento, estar apertando a mão de um homem, em seguida, é a única coisa que eu faço. Eu não vou apertar a mão, e depois, acender um cigarro e fazer mil outras coisas. Eu simplesmente imagino que estamos realmente apertando as mãos e mantenho a ação novamente e novamente, até que o ato imaginário tenha toda a sensação de realidade.

O evento deve implicar sempre realização do desejo. Sempre construir um evento que você acha que aconteceria naturalmente após o cumprimento de seu desejo. Você é o juiz de qual evento você realmente deseja realizar.
Há uma outra técnica que lhe dei ontem à noite. Se você não pode concentrar-se em um ato, se você não pode se aconchegar em sua cadeira e acreditar que a cadeira está em outro lugar, como se outros lugares estivessem aqui, então faça o seguinte: Reduza a ideia, condense a uma única frase, simples como, "Não é maravilhoso? ", ou" Obrigado. ", ou" Está feito. ", ou" Está terminado. "

Não deve haver mais do que três palavras. Algo que implica que o desejo já está realizado. "Não é maravilhoso", ou "Obrigado", certamente, implica isso. Estas não são todas as frases que você poderia usar. Certifique-se em seu próprio vocabulário a frase que melhor lhe convier. Mas torne-a muito, muito curta e sempre use uma frase que implica o cumprimento da ideia.
Quando você tem sua frase em mente, levante a nuvem. Deixe a nuvem subir simplesmente induzindo o estado que beira o sono. Basta começar a imaginar e sentir que você está sonolento, e nesse estado assuma o sentimento do desejo realizado. 

Então repita a frase de novo e de novo, como uma canção de ninar.
Qualquer que seja a frase, permiti-la implica que a suposição é verdadeira, que é concreta, que já é um fato, e você sabe disso.
Apenas relaxe e entre no sentimento de realmente ser o que você quer ser.
Conforme faz isso você está entrando em Jericó com seu espião que tem o poder de lhe dar isso. Você está libertando Barrabás e sentenciando Jesus para ser crucificado e ressuscitado. Todas estas histórias você está reencenando se agora começa a soltar e entrar no sentimento de realmente ser o que você quer ser. Agora nós podemos ir...


PERÍODO DE SILÊNCIO… (Imaginando)


Se suas mãos estão secas, e se a sua boca está seca no final desta meditação, esta é uma prova positiva de que você conseguiu levantar a nuvem. O que você estava fazendo quando a nuvem se levantou é inteiramente seu negócio. Mas você fez a nuvem se levantar e suas mãos estão secas.

Vou lhe dar um outro fenômeno que é muito estranho e que eu não posso analisar. Isso acontece se você realmente vai para o fundo. Você vai perceber ao acordar, que você tem o par de rins mais ativo do mundo. Eu discuti com os médicos e eles não podem explicar.

Outra coisa que você pode observar na meditação é uma bela luz azul líquida. A coisa mais próxima na terra para que eu possa comparar é estar queimando álcool. Você sabe quando coloca álcool no pudim de ameixa na época do Natal, e ascende o fogo, a bela chama azul líquida que envolve o pudim até que você apague. Essa chama é a coisa mais próxima da luz azul que vem na testa de um homem em meditação.

Não fique aflito. Você saberá quando ver isso. É parecido com dois tons de azul, um escuro e outro azul mais claro em constante movimento, apenas como álcool queimando, é diferente da chama constante de um jato de gás. Esta chama está viva, assim como o espírito estaria vivo.

Outra coisa que pode vir a você como veio para mim. Você vai ver pontos diante dos seus olhos. Eles não são pontos vivos como algumas pessoas vão lhe dizer e que não sabem nada sobre isso. Estes são pequenas coisas que flutuam no espaço como uma malha, pequenos círculos amarrados todos juntos. Eles começam com uma única célula e vêm em grupos em diferentes padrões geométricos, como minhocas, como trilhos, e eles flutuam por todo seu rosto. Quando você fecha seus olhos você pode vê-los, provando que eles não são de fora, eles são de dentro.

Quando você começa a expandir a consciência todas essas coisas veem.
Eles podem ser seu fluxo de sangue objetivado por algum estranho truque do homem, e que o homem não entendo muito bem. Não estou negando que é seu fluxo de sangue feito visível, mas não se angustie por pensar que são pontos vivos, ou alguma outra coisa boba que as pessoas vão lhe dizer.
Se estes vários fenômenos veem para você, não pense que está fazendo algo errado.  É a expansão normal, natural que vem a todos os homens que se levam a tiracolo e tentar desenvolver o jardim do Getsêmani.

O minuto que você começar a disciplinar sua mente, observando seus pensamentos e vigiando seus pensamentos durante todo o dia, você se torna o policial de seus pensamentos. Recuse-se a entrar em conversas que são desagradáveis, recuse-se a ouvir atentamente a tudo o que derruba.
Comece a construir dentro do olho da sua própria mente a visão da virgem perfeita em vez da visão da virgem louca.

Escute apenas as coisas que trazem alegria quando você ouvir.
Não dê ouvidos àquilo que é desagradável, que não desejaria ter ouvido. Isso é ouvir e ver coisas sem óleo em sua lâmpada, ou a alegria em sua mente.
Existem dois tipos de virgens na Bíblia: cinco virgens tolas e cinco prudentes. O minuto no qual você se tornar a virgem prudente, ou tentar fazer um esforço para fazer isto, você vai descobrir que todas essas coisas acontecem. Você vai ver essas coisas, e elas lhe causam interesse, portanto você não tem tempo para desenvolver uma visão tola, como muitas pessoas fazem. Espero que ninguém aqui o faça. Porque ninguém deveria se identificar com tão grande obra e ainda poder achar graça numa discussão com outra pessoa que é desagradável.

Fim da segunda aula.

Neville Goddard