sábado, 12 de dezembro de 2015

Curso de Autoestima_Introdução


Esse material foi originalmente produzido pelo Sr. Juan Carlos Fernandez, Consultor de Produtividade e Desenvolvimento Humano, o qual eu traduzi e a partir de agora começo a publicar neste Blog.

Agradeço ao Sr. Fernandez por sua generosidade em compartilhar esse trabalho, e espero sinceramente, que ele traga a todos os que o acompanharem, uma nova visão a respeito de si mesmos, e um novo enfoque acerca da Nova Consciência.


Adriana Silveira




Curso Autoestima

Introdução


“O Primeiro Degrau do Êxito”

Não é o que nos acontece que nos afeta,
Mas sim, a interpretação que fazemos
do que nos acontece.

Viola Edward


Este curso é uma apaixonante viagem pela arte se ser humano. É uma colaboração para lhe ajudar a alcançar um nível mais elevado de consciência; uma nova consciência, onde seus pensamentos resultam ser tão poderosos, que podem afetar o mundo ao seu redor, seus relacionamentos pessoais, a manifestação física, material, e sua perspectiva do mundo em geral. Porém, minhas palavras não vão fazer isso se tornar isso real, somente se experimentar em sua própria vida, isso se converterá em realidade. Por isso, é um curso.

Esse projeto não se baseia em ensinar uma verdade, mas sim, que você descubra a sua verdade, seu próprio poder, e com ele, se lembre de quem você é.

Descobrir a ligação que nos integra a este mágico Universo, do qual somos parte, para vivermos plenamente e sobretudo, para alcançarmos a harmonia emocional, mental, física, material e espiritual.

Essa emocionante viagem através do crescimento como ser humano, se propõe a dissipar algumas falsas crenças que existiram em seu passado, e chegar a um novo conjunto de conhecimentos. Com suas novas ferramentas você saberá que…

…ao invés de viver num mundo de limitações, que sua realidade e seu potencial são ilimitados.
…ao invés de estar determinado por sua herança, circunstâncias e forças externas, que você cria sua própria realidade, que existem forças divinas que atuam “com e dentro” de você.
…ao invés da existência humana geralmente ser má e perigosa, que toda experiência humana é uma bênção e que algo acontece. Esse algo é uma motivação maior e positiva.
…ao invés de depender das circunstâncias, decisões e pessoas fora de seu controle, que existe dentro de você o maior poder do Universo, para ajudá-lo a criar o que deseja.
…ao invés de que nos espera um futuro difícil e cada vez pior, com certeza nos espera um futuro extraordinário e belo, cada vez melhor, onde ficamos ansiosos para existir.

Sei que muitas pessoas duvidarão e muitas negarão várias coisas que trataremos nessa viagem. Que assim seja. São a verdade, segundo vivo meu dia a dia, e ela sai de meu coração.

O curso de autoestima nasceu em setembro de 2005, para compartilhar aberta e desinteressadamente, sem pedir nada em troca e sem nenhum custo, com pessoas que precisavam de respostas, para encontrar a luz em seu caminho de vida; por isso peço que compartilhe com o mesmo amor com que eu o faço.
Não tem a ver com nenhuma religião, ou cor da sua pele, onde vive, sua afiliação política, ou qualquer outra crença que nos separe. Além disso, esse curso tem muito pouco enfoque de psicologia tradicional.

Não é estritamente necessário seguir a sequência numérica dos capítulos, com exceção de alguns capítulos seriados, nos quais, logo no início, há a indicação no título, Parte 1 ou Parte 2, etc...., mas que também estarão indicados no índice. Se sente o desejo de ler alguns capítulos simplesmente guiado por que o título chame sua atenção, está bem, isso corresponde à orientação de seu guia interior, embora retrospectivamente se veja uma evolução no tratamento dos temas com o tempo, seguramente influenciado por meu próprio crescimento.
Tem sido um grande prazer planejar esse curso de autoestima, mas é uma emoção indescritivelmente muito maior “viver’ na nova consciência de que falamos, eu lhe desejo a mesma emoção em viver, e mais, com seu novo descobrimento: Você Mesmo.

Adquirir uma Nova Consciência de nós mesmos é todo um desafio perante os hábitos dos seres humanos. Planejar uma reconstrução mental parece difícil, mas se torna sumamente fácil quando se dimensiona o bem que se pode chegar a alcançar.

Uma das maiores lições que podemos aprender como seres humanos é saber o motivo de nossos comportamentos. Todo ser humano tende a evitar a dor e o sofrimento, e buscar a felicidade e o prazer. Acredite que visualizará uma perspectiva diferente diante da vida, quando tiver plena consciência desta dinâmica mental tão interessante do ser humano.

Quando alguém experimenta certa dificuldade para iniciar algo novo em sua vida, é porque é natural do ser humano esse sentimento de medo diante da mudança, o que dificulta a mesma. A mudança, por definição, implica certo temor acerca do desconhecido. Platão, grande filósofo grego, dizia que a coragem e a covardia não existiam, mas sim o que verdadeiramente existia eram o conhecimento e a ignorância. Agora, se pedirmos a uma criança pequena, de apenas dois anos de idade, que se jogue do 9º andar de um edifício, desde que não haja interferência de seus pais ou nenhum adulto, ela pularia, claro que pularia. No entanto, poso assegurar que nem você nem eu estamos pensando na valentia dessa criança ao enfrentar esse desafio, não é verdade? O que eu posso assegurar é que essa criança não tinha conhecimento da grave consequência desse ato, ignorava essa informação, e por isso, se lançou no vazio.

Mas, se ao contrário, pedirem a você que se jogue do terraço de sua casa, não o faria de maneira alguma (a menos que tenha um motivo forte para fazer. Eu recomendo terminar de ler todo esse material para depois tomar a decisão). Seria falso dizer que você é um covarde por não aceitar esse desafio; o que verdadeiramente acontece, é que você “conhece” as consequências do golpe que poderia receber. Aí está, conhecimento e ignorância, essa é a dualidade onde exercemos muitos de nossos comportamentos na vida.

Quantas vezes você não exclamou: “Caramba! Se eu soubesse disso antes...”, ou “Eu não imaginava isso”. Existe um sem número de frases que nos mostram a ignorância do conhecimento que tínhamos desta ou daquela coisa. O importante disso é que tudo o que podemos chegar a conhecer servirá como parâmetro fundamental de referência, para que posteriormente possamos decidir. Esse conceito é aplicado a praticamente tudo na vida. Como vamos escolher algo que não conhecemos? É transcendentemente importante conhecer. Podemos chegar a dizer que em quase todos os momentos estamos tendo conhecimento.
Quando lemos, observamos, tocamos, escutamos, quando assimilamos informação por qualquer dos nossos cinco sentidos, estamos conhecendo, estamos aprendendo. Eu lhe garanto que quanto mais saiba de qualquer área de conhecimento humano, mais humano se pode chegar a ser pela capacidade de escolha que se incrementa como consequência.

Todos nós, você e eu, passamos por momentos difíceis, por momentos onde se põe à prova nossa cautela, nossa fortaleza, nossa temperança, nossa justiça, etc., porém, aqui há algo que também pode ser positivo; nossa capacidade de decisão, mesmo que em momentos difíceis, a conservamos, e graças a ela é que podemos escolher, podemos decidir em que nos fixamos.

Veja, quando eu disse ‘momentos difíceis” eu quis dizer que você tem a liberdade de escolher, dar mais importância para a palavra “momentos” ou para a palavra “difíceis”, e nessa decisão, não é verdade que existe uma grande diferença? Eu me lembro quando uma amiga me falava ao telefone num domingo, cerca de meia-noite. Era um de seus últimos momentos de férias, porque no dia seguinte se iniciava mais um semestre em seus estudos universitários. Me falava um pouco perturbada e triste pelo fim de suas férias, mas se percebia sua preocupação com o início das aulas; uma vez mais levantar cedo, estudar, correr para a aula, preparar-se para os odiados exames. Além disso, sua escola de caracterizava pelo prestígio de ser “das mais difíceis” das escolas, onde seus alunos apresentavam casos de calvície, úlceras, alterações na pele, etc. como se vê, algo “muito motivador” para se começar o semestre.

Ela me disse “estou um pouco preocupada porque amanhã inicio um novo semestre, e me dá um pouquinho de medo, sabe? ” No entanto, eu respondi algo como: “eu entendo, eu também me lembro de quão espantoso foi quando eu comecei a estudar para minha carreira profissional: o desafio de novas matérias, porém, deixe eu lhe perguntar algo: já dimensionou a maravilha que é poder estudar? O que você prefere?  Estudar ou levantar-se às 4:30 da madrugada para ir até a Central de Abastecimento, pegar suas mercadorias, carregar sobre seus ombros até chegar ao mercado, e montar sua banca de verduras e se dedicar a ela; ou melhor é ter a felicidade e a oportunidade de estudar, viver a maravilhosa aventura de descobrir novos mundos e diferentes perspectivas na vida, como as que encontra na universidade, poder ler sentada na poltrona mais aconchegante de sua casa, saboreando ao mesmo tempo um delicioso café; ou você preferia ter que sair e vender jornais, e ter um horizonte tão curto como seu próprio nariz, sem sonhos a alcançar, sem desafios a enfrentar. Caramba! Se emocionar enormemente ao saber que tem a capacidade de ler e com ela, chegar a conhecer tanto, podendo escolher entre tantas variadas opções que se apresentam na sua vida. Agradeço a Deus a oportunidade que me deu para estudar, e o apoio de meus pais que se refletiu em uma melhor educação, mais conhecimentos, maior capacidade de escolha e decisão, como consequência lógica. ”

Se fez um silêncio na linha telefônica, logo depois ela respondeu: “Não sei o que você fez, mas já me deu uma enorme vontade de ir amanhã para a faculdade. ” Mas claro! Aí estava a diferença; antes mesmo do evento (assistir as aulas), nós dois tínhamos perspectivas diferentes e com isso, experimentávamos emoções diferentes. Acredite, podemos ver as coisas de uma maneira diferente de como estamos acostumados, basta que você queira assim.

Uma vez que temos intensificado uma nova crença, uma nova perspectiva perante a vida, através do tempo, começa a se tornar como um verdadeiro estilo de vida; começamos sempre a ver as coisas através do mesmo cristal, e tenha a plena certeza de que você mesmo pode limpar ou sujar esse cristal. Estou convencido de que a perspectiva que alguém tem de sua vida é muito similar à visão que se tem quando se está dirigindo um carro. Quando dirige, vai observando tudo o que está diante de você, para evitar colisões, saber que rua é conveniente pegar, etc., mas muito poucas pessoas param para pensar que para ver tudo isso, também foi necessário olhar para o para-brisas, ao mesmo tempo e através dele! Porém o mais impactante, é que quase ninguém se dá conta disso.

Esse para-brisas poderia estar empoeirado, acinzentado, velho ou riscado, e muitas pessoas poderia dizer, “Caramba! Que dia tão nublado”! Pois bem, mesmo que essa seja uma realidade muito possível em uma grande cidade, alguém poderia ficar surpreso quando saísse do carro por um momento e visse “a realidade” mais clara, poderia até esfregar os olhos como que não acreditando que à sua frente está um dia limpo!  Que interessante se voltarem a ver seu para-brisas e o encontram sujo, que maravilha se ao perceberem a causa da diferença e começarem a limpar e polir seu para-brisas, e posteriormente voltarem ao volante do carro para dirigir novamente, e muito seguramente exclamassem: “Que dia lindo! ”. Pode imaginar isso?

Pois bem amigos, o apaixonante passeio que os convido a dar, é para que juntos limpemos nossos para-brisas. Em nós está a decisão para isso. Você e eu iniciamos no dia de hoje uma emocionante jornada que não sei quanto tempo durará, mas estou certo que mudará sua vida. Nos faremos acompanhar por muitos mestres: Deepak Chopra, Alejandro Ariza, W. Dyer Wayne, Gregg Braden, Lair Ribeiro, Joseph Morphy, Norman Vincent Peale, Lynn Grabhorn, Neale Donald Walsch, Stephen Covey, Louise L. Hay, Esther y Jerry Hicks, Joe Vitale, Emet Fox, Emilio Guzmán, Ema Godoy, Leo Alcalá, Camilo Cruz, Víctor Frankl, Ralph Waldo Emerson, Harold Kushner, Gerardo Schmedling, Sergio Valdivia, Anthony Robbins, Robert B. Stone, James Readfield, Daniel Goleman, Jack Canfield, Carl Gustav Jung, Miguel Ruiz, Brian Tracy, Masaru Emoto, e alguns outros nomes que me escaparam neste momento, além de seu servidor.

Dedico essa obra a meu mestre, o Dr. Alejandro Ariza, que com seu grande valor e conhecimento humano mudou minha vida e de minha família.

Comecemos!

Juan Carlos Fernández
Tradução: Adri Silveira


Capítulo seguinte 
001_OPoder de Sua Escolha

Um comentário: